Animais de estimação são uma ótima companhia, a presença deles ajuda a renovar as energias do lar e deixa tudo muito mais leve e alegre. Entretanto, mantê-los dentro de casa apropriadamente pode ser um grande desafio. Donos que não conseguem viver longe dos bichanos estão dispostos a fazer as modificações necessárias em seus lares para que todos os moradores, humanos ou não, possam viver tranquilamente.

É essencial manter o ambiente agradável e acolhedor, até mesmo em espaços reduzidos, como apartamentos, por exemplo, porém nem todo mundo sabe como fazer isso. Mas e você? Consegue dividir o apartamento com seu cachorro ou gato sem grandes problemas? Pensando nisso, a VRV preparou esse texto com dicas e recomendações muito importantes. Essas soluções vão te ajudar a manter seu pet alegre e saudável em pouco espaço.

Confira:

Conheça o regulamento do condomínio

Cada residencial possui regras de conduta a respeito do convívio com os animais. O primeiro passo a ser dado é conhecer o regulamento a fim de entender o que pode e não pode ser feito ou possuir no apartamento. Esses regulamentos ditam, principalmente, a respeito da circulação dos pets em áreas compartilhadas, como salões, jardins, elevadores e espaços de lazer.

Caso não haja clareza ou especificações bem delineadas, converse com o síndico do prédio ou apenas tenha cuidado com os bons hábitos de convivência. Lembre-se que seus vizinhos podem não gostar de animais tanto quanto você, por isso, tente mantê-lo sob controle, evitando confusões ou incômodos desnecessários.

Instale telas de proteção em janelas

Além do conforto, seu bichano precisa de segurança. A instalação de redes de proteção em janelas e outras aberturas é indispensável, principalmente se você morar acima do primeiro andar. Quanto mais elevado o andar, maiores os riscos.

Cães não apresentam tanto risco de escapar por essas aberturas, porém, os de médio e grande porte são capazes de alcançar janelas e botar a cabeça ou parte do corpo para fora, os expondo a um enorme risco. Já os gatos são conhecidos pela sua incrível capacidade de saltar, esquivar e sair de casa quando e como quiserem. Impedir isso é importante, principalmente se estiverem morando em uma região nova, evitando que se percam durante um passeio não autorizado.

Adestre seu animal

Não estamos falando sobre truques mirabolantes. O adestramento do seu gato ou cachorro é importante para que ele consiga desenvolver habilidades que melhorem o cotidiano dentro de casa. Ordens básicas relacionadas ao comportamento e ao reconhecimento do ambiente são extremamente úteis e conveniente em inúmeras situações.

Invés de instigar uma briga, na qual ele pode fazer barulho e não te obedecer, você pode usar os comandos para mandá-lo para fora de algum cômodo, sair de cima de algum móvel ou largar algum objeto que o animal pegou com a boca. Por outro lado, se for um pet mais velho, o mais recomendado é pedir ajuda a um profissional capacidade.

Reserve um espaço apenas para o seu gato ou cachorro

Assim como você, o bichano precisa de um espaço exclusivo para ele, onde dormirá, comerá, beberá água e descansará quando estiver exausto. Esse cantinho precisa ser confortável, espaçoso e dispor de tudo que ele precisa, como potinhos sempre cheios, uma cama confortável e localizado em uma parte bem arejada do apartamento. Também, é preciso treiná-lo para reconhecer aquela como sua casinha.

Não possuir nada minimamente parecido com o que acabou de ser descrito dá a entender que qualquer lugar é dele ou que ele pode fazer o que quiser. Isto significa que, muitas vezes, o animal se vai se acomodar em espaços nada convenientes, podendo atrapalhar o seu dia.

Mantenha objetos de risco fora do alcance

Muitos objetos podem virar alvo das brincadeiras do seu pet e alguns não são seguros para morder ou puxar. Ao mobilhar o apartamento ou enfeitar com itens decorativos, várias coisas acabam assando despercebidas, abrindo brecha para um acidente. É de suma importância inspecionar todos os cômodos e analisar quais problemas eles oferecem.

Você deve dar atenção aos seguintes itens, principalmente:

  • Fiação;
  • Aparelhos eletrônicos;
  • Produtos de limpeza;
  • Remédios;
  • Alimentos;
  • Objetos cortantes e/ou pontudos;
  • Cosméticos;
  • Bijuterias e outros acessórios;
  • Calçados;
  • Enfeites pequenos e médios;
  • Copos e talheres;
  • Itens de plástico e vidro no geral;

 

Seguindo todas essas orientações, é possível viver em paz e harmonia com o seu animal de estimação e demais moradores do prédio por longos anos.

Esperamos que tenha gostado da publicação. Para mais dicas como esta, acesse o blog da VRV

0 0 votes
Article Rating